top of page

"Liberdade é deixar ir as expectativas"

Atualizado: 26 de jun.

"Eu me libero e te liberto de estar a altura das minhas expectativas."


Muitas de nossas frustrações na vida estão atreladas às expectativas que temos diante das pessoas a quem estamos vinculadas de alguma forma.


Desde a mais tenra idade vamos estruturando nossa personalidade a partir de modelos parentais e, assim, vamos entendendo, aprendendo, internalizando uma forma muito particular de como conseguir a atenção, o carinho, o afeto, o amor das pessoas que são importantes para nós.


Enquanto pequenos nos moldamos a esses aprendizados, crenças perpassadas por nossos pais, avós, valores familiares para pertencer ao grupo e nos sentirmos amados. Entregamos tudo de nós e, da mesma forma esperamos muito deles.


Quando nos tornamos adultos, naturalmente, estaremos em outros grupos, tais como: trabalho, estudos, lazer, viagens, etc, e continuaremos, inconscientemente, com o desejo de pertencermos, de sermos amados, de sermos aceitos e de que nossas expectativas também sejam realizadas.


A frustração e o cansaço chega em determinado momento. Percebemos que algo está em dissonância interna e externamente.

Exigimos tanto do Outro quanto de nós mesmos na busca desenfreada por esse amor, por atenção, pela necessidade de nos sentirmos valorizados, validados da forma como realmente somos.


É necessário então, deixar ir, soltar, ser apenas você e deixar ao Outro o direito de ser ele mesmo.

Expectativas geram ansiedade, desconforto e frustração, uma vez que não conseguimos mudar ou controlar o que está fora, o que pertence ao Outro.


Hora de se liberar, de se libertar, de se fazer "pipa" e voar, conhecer outras pessoas, outras fronteiras, outras formas melhores e mais salutares à vida humana.


Aprender a se amar para só então se sentir amado; aprender a se respeitar para só então se sentir respeitado, aprender a Ser, simplesmente ser Você mesmo, e libertar, deixar o outro ser simplesmente Ele mesmo.


Sem expectativas.

No tempo de cada um.


Texto: Ana Maria Favero Martin


Você gostou deste post. Deixe seu comentário, curta, compartilhe com pessoas que possam se interessar. Obrigada por sua presença aqui em meu site.



23 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios

Obtuvo 0 de 5 estrellas.
No se pudieron cargar los comentarios
Parece que hubo un problema técnico. Intenta volver a conectarte o actualiza la página.
bottom of page