top of page

"O vínculo saudável entre mãe-bebê"

Atualizado: há 7 dias



A mãe e seu olhar especular para o bebê é de ordem estrutural, é arcabouço na formação da personalidade desse novo ser. É a partir dela e de todo movimento interno e externo desta relação que o bebê vai se desenvolvendo como um todo, ou seja, físico, mental e emocional, espiritual, social e cultural. É ela quem vai apresentar o mundo ao bebê, nomeando, acolhendo, cuidando, dando suporte e direcionamento, no entanto, com uma certa autonomia no início da vida.


Paulatinamente, essa mãe vai soltando, aos poucos, para que o ser que ali está se apresente também a ela, ao pai, à família, à cultura.


A independência e autonomia é de extrema importância para que esse ego vá se estruturando de forma saudável para, mais tarde, poder conviver em sociedade.


O colo da mãe na infância pode ser parte de um simbólico que estará sempre presente ao longo da vida. No entanto, é salutar que a "pipa voe", que a "borboleta" bata asas, na fase adulta.


Sair do colo é difícil para ambos; mãe e filhos sofrem essa suposta "perda". Portanto, que todas as mães consigam dar colo que acolhe, toque que acaricia, segurança para a vida, cuidados de todas as ordens, e tudo o mais que uma criança precisa nesta fase primeira, principalmente.


E, quando a "pipa" voar, a "borboleta" sair do casulo, que todas as mães, também tenham se preparado para este momento do desapego.


Que voem alto, seguros e confiantes em si e na Vida!!!

É o melhor que podemos dar! Tudo o mais, eles construirão.

Confiem! Cuidem de vocês (mamães) agora e sempre!


Vocês mamães, já viveram estas fases?

Como foi que se sentiram? Compartilhem suas experiências comigo.



23 visualizações1 comentário

1 comentário

Avaliado com 0 de 5 estrelas.
Ainda sem avaliações

Adicione uma avaliação
Avaliado com 5 de 5 estrelas.

Os primeiros contatos entre a mãe e o bebê ditarão o vínculo e a conexão saudável que estará na base estrutural da personalidade da criança. É uma fase primária de muita importância tanto para o bebê quanto para a mãe. Há que se ter esse vínculo saudável de forma a dar o suficiente e, ao mesmo tempo ir "soltando", dando liberdade para que a própria criança vá construindo e mostrando ao mundo sua própria maneira de ser e sentir esse mesmo mundo. Você tem questões difíceis nos relacionamentos com seus filhos. Fale comigo. Agende um horário. Fico à disposição.

Curtir
bottom of page